1497

Gosto da companhia de pessoas observadoras, com vontade de aprender. Que não perdem tempo em contemplar a poesia que a vida proporciona. Eu só tenho tempo pra vida. A cada dia que passa minha quantidade de palavras diminui e minha sede de ouvir aumenta. A vida tem muito a dizer. Eu só tenho a ouvir. Às vezes tenho vontade de morar no conforto da contemplação sublime. Contemplação despretensiosa. Irresponsável. De ficar mergulhado sem respirar na plateia da vida. Em apneia, no silêncio da observação. Me perdendo em cada detalhe, cada ruído, cada cor, cada gesto. Ah, o gesto... Aproveitar de muito perto (de tão longe), até o último suspiro, este espetáculo frágil de estar vivo.

14 comentários:

Raphaela Gomes disse...

Sensacional, Ret. eu poderia dizer o mesmo...

Anônimo disse...

Quando se capta o sentimento ao ouvir não existe mais distancia física

Anônimo disse...

.

Anônimo disse...

caramba cara vc transborda em poesia tudo aquilo que nos completa te amamos por isso continua assim flw
Patrick

Futura Heroína disse...

Transborda poesia ♥

Anônimo disse...

a constante vontade de criar e desenvolver coisas novas é o maior combustível dos artistas

Anna Garcêz disse...

Incrivelmente, incrível! Me descreve de uma forma simples e ao mesmo tempo poética...

Anônimo disse...

Ret tu e foda continue sempre nos impressionando com poesias assim ::3"enquanto me adimira em silencio me julga em voz alta"

D.D. disse...

Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz.

Paulo Valenca disse...

Prezado Filipe, passeando no seu "blog", defronto-me com reflexões inteligentes. Não me passou despercebida a sua citação de Nietzsche, extraída de Crepúsculo dos ídolos. Nietzsche, a quem respeito bastante, tinha lá um ego bem inflamado. Ao reclamar para si, o pioneirismo no uso de aforismas em alemão, passa ao largo de todo o Primeiro Romantismo Alemão (O Romantismo do Grupo de Iena), momento privilegiado da estética do fragmento como gênero poético-crítico-filosófico, no qual avulta, notadamente, o grande Novalis.
Como senti inteligência em suas máximas, resolvi escrever-lhe esta mensagem, ao mesmo tempo em que lhe brindo com estas joias novalisianas (não sei você já as conhece): "A poesia é o autêntico real absoluto. Isto é o cerne da minha filosofia. Quanto mais poético, mais verdadeiro."; "Seja em que poesia for, o caos deve transparecer sob o véu cerrado da ordem."; "Para o poeta a linguagem nunca é pobre demais, mas é sempre universal. Ele frequentemente precisa de palavras que se repetem, que através do uso já esgotaram seu papel. Seu mundo é simples, como seu instrumento - mas igualmente inesgotável em melodias."

Abraço,

Paulo

Dica de Menina disse...

http://heydesabafei.blogspot.com.br/
Por favor olhem meu blog e acompanhem! Obrigada!

Francisco Vitoria disse...

Sacou hauhahauh

Francisco Vitoria disse...

Sacou hauhahauh

Pablo Ruan disse...

Me lembrei de Nietzsche, em o Crepúsculo dos Ídolos, quando retalha todos esses filósofos melancólicos que tendem a diminuir o valor da Vida. Viva o Individuo!