1481

Todo poeta tem frieza e sensibilidade extremas.
Sensibilidade para encontrar o sentimento.
Frieza para assassiná-lo numa folha em branco.
A poesia é a prova do crime. É a ostentação do cadáver feita pelo próprio autor do crime.

2 comentários:

Bissi disse...

admiro tua capacidade de expor o que sente irmão , ontem escrevi um rap , totalmente inspirado nisso , nas tuas letras , porque penso do mesmo jeito , é isso , eis aqui mais de muitos que acreditam que o rap viverá pra sempre !

GBS disse...

Essa e a ideia 1433 me lembra das ideias de Lacan, que dizia que as nossas palavras não são a realidade, são apenas símbolos imperfeitos. Segundo ele, o mais perto que chegamos da realidade é quando ficamos sem palavras.